O assentamento de pisos cerâmicos e porcelanatos pode parecer tarefa fácil, mas requer técnicas e cuidados. Neste artigo, vamos abordar 6 passos para uma instalação perfeita.

A aplicação dos pisos com certeza é uma das etapas mais esperadas da obra, e é sabido que uma instalação feita de forma errada pode gerar grandes problemas.

Desde a insatisfação do cliente na questão estética, até a quebra do material a longo prazo, é preciso muita atenção nas técnicas de assentamento.

E por falar em estética, cresceu em muito a pesquisa por porcelanatos devido a beleza que este material traz ao ambiente, além da praticidade na limpeza e também de sua resistência. Mas antes de colocar esse produto na sua obra, é importante saber que existem diferentes tipos de material:

  • Acetinados: ou semi-polidos, que não contém brilho;  
  • Polidos: trazem brilho ao ambiente, deixando com maior sensação de espaço e limpeza, mesmo sendo mais suscetível a manchas; 
  • Peça Rústica: são peças que trazem um acabamento mais rústico, sendo menos escorregadios, e mais difíceis de limpar. 

Argamassas e rejuntes

Ao preparar a argamassa, é muito importante prepará-la de acordo com as instruções do fabricante. O preparo é parte fundamental para um bom resultado, pois o excesso ou a falta de água na mistura pode comprometer a aderência do piso na superfície. 

É preciso considerar também em qual local essas peças serão instaladas. Por exemplo, se forem em áreas externas, que têm bastante incidência de luz solar, é necessária a utilização de rejuntes e argamassas especiais, como o rejunte cimentício tipo 2 e argamassa tipo AC2 

Lembrando que porcelanatos de bordas retas podem ter juntas de até 1mm de rejunte, enquanto com bordas bold precisam de mais espaço. Já os porcelanatos para uso em área externa, a distância de junção deve ser ainda maior. 

Também é importante respeitar as medidas mínimas das juntas de dilatação recomendadas pelo fabricante para cada tipo de piso. Além disso, é preciso pensar na quantidade de tráfego sobre essas peças, se serão para áreas comerciais ou residenciais. Assim, você poderá escolher o melhor tipo de material para o local da obra.

Escolhidos os rejuntes, argamassas e pisos, é hora de pensar na aplicação!  

  • Passo 1: Verifique a situação do contrapiso antes de iniciar o processo. Se este estiver irregular, é necessário nivelar, seja com raspagem ou com preenchimento.
  • Passo 2: Com o piso nivelado, é hora de aplicar a argamassa de forma que as passadas fiquem retas e uniformes, com desempenadeira dentada, que é a ideal para assentamento de pisos e azulejos. Para melhor aplicação em peças de 30x30cm, é importante fazer uma camada de argamassa na peça, fazendo uma dupla colagem. 
  • Passo 3: Estenda a argamassa até 2m² por vez e com o lado dentado faça cordões em ângulos de 60º graus. É necessário que as ranhuras feitas com a desempenadeira estejam no mesmo sentido que as ranhuras no piso. Assim o material vai escorregar e aderir de forma correta, já que não haverá ar em sua superfície. Lembre-se que para peças maiores é necessário o uso de ventosas na instalação. 
  • Passo 4: Instalando a peça, aplique a peça sobre a base e pressione. Bata com o martelo de borracha até conseguir amassar os cordões de argamassa. Remova a argamassa das juntas e faça a limpeza com material adequado em até 1 hora. 
  • Passo 5: Para nivelar as peças, é interessante o uso de espaçadores e cunhas. Essa técnica, comum hoje em dia no mercado, além de evitar que o ar entre por baixo da peça, é mais segura com o uso de um alicate nivelador de piso. Depois, retire as cunhas e quebre os espaçadores. 
  • Passo 6: Chegamos à última etapa, após a secagem recomendada nas informações técnicas de cada produto. Aplique o rejunte com uma desempenadeira de borracha para evitar o atrito na peça, faça a limpeza e dê o acabamento com um frisador de plástico ou de acrílico. Nesse artigo, demos um passo a passo de como rejuntar pisos e revestimentos e obter juntas mais resistentes a fungos, com acabamento liso e fácil de limpar! 

Lembrando que para fazer cortes nas peças, é preciso uma riscadeira, uma mesa de corte ou uma serra de corte, sendo o último o mais delicado pois depende mais da habilidade do profissional para operar a máquina.

 

Piso sobre piso

Para assentamentos de piso sobre piso não há muita diferença do passo a passo anterior. O que o profissional precisa se atentar é se a superfície onde será instalado o material está limpa e nivelada de forma adequada. 

Também é necessário lembrar que esse aumento de nível dos pisos pode comprometer o fechamento de portas e causar diferença na altura perante aos outros ambientes. 

Como dissemos anteriormente, cada tipo de assentamento leva um tipo de argamassa e, nesse caso, não é diferente. A argamassa Piso sobre Piso, da Quartzolit, é a nossa indicação nessa situação! 

Viu como a instalação de pisos é simples apesar das técnicas e cuidados? 

Se você quer aprender qual produto é o mais adequado para cada cenário, e como aplicá-los corretamente, o Parceiro da Construção oferece gratuitamente o curso de Especialista em Argamassas e Rejuntes, com certificado personalizado com o seu nome.

Para mais dicas, aulas e trilhas de conhecimento sobre a área da construção civil, junte-se a nós clicando aqui.