Provavelmente você já ouviu falar de alguém que possui drywall instalado em sua casa ou no trabalho. Esse sistema, composto por placas de gesso pré-fabricadas, é feito a partir da gipsita natural, e é uma opção prática e com melhor custo benefício para quem busca levantar paredes, divisórias e forros nos mais diversos ambientes. 

A placa de gesso é mais leve, possui mais flexibilidade e conta com um alto desempenho. Isso, sem falar que sua instalação não gera tanto resíduos de obra, como na alvenaria.


Trabalhar com drywall é garantia de agilidade e obra limpa.

 

 

Para o morador, são várias as vantagens de se ter esse tipo de construção em sua casa: conforto termoacústico, qualidade no acabamento, facilidade de manutenção e flexibilidade de layout, por exemplo.

E, para quem quer começar a trabalhar com construções a seco, separamos 4 dicas valiosas sobre drywall. Confira!

Dica 1: Sobre os tipos de drywall 

Existem diversos tipos de placas de gesso acartonado e cada uma possui particularidades, então, vamos entender a finalidade e tipo de uso de 3 delas. 

O primeiro é a placa de drywall branca ou cinza, standard (ST), que é recomendada para áreas secas, como paredes e forros de salas internas, dormitórios, escritórios e estúdios, por exemplo. 

O segundo tipo é a placa de drywall verde, resistente à umidade (RU), indicada para áreas internas úmidas, como banheiros, cozinhas, lavabos, lavanderias e áreas de serviço. Essa placa apresenta componentes hidrofugantes em sua composição química, que garante a resistência à umidade da placa. Mas lembre-se, esse material não é a prova d’água! 

Por fim, a placa de drywall rosa  é resistente ao fogo (RF) devido a alguns aditivos em sua composição. São indicadas para saídas de emergência e escadas de incêndio, por exemplo, que necessitam de uma maior resistência ao fogo. 

Vale lembrar que o sistema drywall pode ser preenchido com lã minerais, como lã de vidro, para melhorar ainda mais a acústica e o conforto térmico dos ambientes. 

Então, antes mesmo de começar a construir, é preciso saber qual a finalidade da obra e quais cuidados o ambiente necessita. Por isso, saber os tipos de drywall é uma etapa muito importante da construção ou reforma.

Dica 2: Sobre a instalação

Para a instalação do drywall, apesar do sistema não ter função estrutural, é necessário a instalação de estruturas específicas.

Os montantes ou guias são perfis metálicos de aço galvanizado, nos quais as placas serão fixadas. 

Existem vários benefícios para quem trabalha com drywall: 

  • Para arquitetos, existe a possibilidade de layouts mais flexíveis, soluções mais criativas para as suas construções, sofisticação estética e alto desempenho.  
  • Para construtores, otimiza e dá mais produtividade para a obra, reduz tempo de obra, torna a construção mais leve e evita um maior desperdício de material. 

Por ser um sistema industrializado é possível fazer o cálculo correto de consumo de material baseado no metragem e tipo de sistema escolhido.

Quando for necessário cortar a placa, é preciso fazer isso em uma superfície plana e lisa, contando com auxílio de ferramentas específicas, as quais vamos falar na sequência. 

Já para instalar as placas na estrutura, conte com parafusos específicos para drywall, isso irá garantir uma melhor fixação do sistema. 

Dica 3: Sobre as ferramentas

Para começar a trabalhar com o drywall, existem algumas ferramentas básicas que são essenciais para a aplicação correta e segura de todo o sistema de construção a seco. 

Essas ferramentas irão lhe ajudar a começar na área e trazer maior agilidade a sua rotina. São elas:

  • Furadeira com broca de encaixe para furar piso e lajes;
  • Parafusadeira para fixar, apertar ou desenroscar parafusos nas placas e perfis metálicos. Hoje é possível encontrar no mercado modelos especiais para drywall (elas possuem limitadores que evitam o parafuso de ultrapassar a chapa de drywall);
  • Nível a laser para medir superfícies e inclinações horizontais e verticais;
  • Linha de marcação, também conhecido como giz de linha, que ajudará a marcar as paredes e placas de gesso em linha reta;
  • Alicate puncionador é uma ótima opção para quem busca agilizar o trabalho e reduzir o número de parafusos usados em alguns pontos de encontros entre a guia e montante,
  • Tesoura de corte reto é uma ótima opção para cortar os perfis de aço galvanizado;
  • Trena manual ou a laser é uma ferramenta básica, mas ótima para fazer marcações e medições na obra;
  • EPIs como luvas, óculos, botas e máscaras.

 

Além dessas ferramentas, você também precisará adquirir o sistema completo para construções a seco

Mas não se esqueça de garantir que todos os componentes do sistema drywall, desde os perfis até as placas de gesso, sejam normatizados..

Dica 4: Sobre a manutenção 

Uma parede de drywall oferece várias vantagens, e uma delas é a manutenção. Já que possíveis reparos não exigem a presença de especialista, reduzindo os custos e os tornando mais rápidos e práticos.

Vale lembrar que, apesar de ser um material de longa duração, a impermeabilização das placas em locais úmidos, é essencial para que sua vida útil seja ainda maior.

Para fazer a limpeza, procure fazer uso de panos úmidos ou de produtos de limpeza que não vão danificar o sistema, como esponjas macias e detergentes neutros.

Quando há furos ou pequenos reparos em sua superfície, basta escolher a massa MAP da Placo, a massa mais adequada para o tipo de aplicação. 

E que tal se tornar um expert em construção a seco? 

Agora que você sabe mais sobre drywall, que tal ser uma referência no assunto? O Parceiro da Construção te ajuda nisso! 

O Parceiro da Construção ajuda profissionais da área de construção civil, com cursos, trilhas de conhecimento e webinars, em ambiente online e de forma gratuita.

Inscreva-se agora e tenha acesso ao nosso Curso de Especialista em Drywall, presente na plataforma!